Comércio pode cobrar preços diferentes de acordo com forma d

 

preço diferenciado

O comércio brasileiro obteve grande conquista, a sanção na segunda-feira (26) pelo presidente da República, Michel Temer, da Medida Provisória 764, que trata da diferenciação de preços de bens de serviços oferecidos ao público, em função do prazo ou forma de pagamento utilizado. O Presidente da Federação das Câmara de Dirigentes Lojistas do RN (FCDL RN), Afrânio Miranda, comentou que essa Medida provisória atende um pleito antigo dos lojistas, que agora passam a tem segurança jurídica para estipular uma política de diferenciação de preço de acordo com a forma de pagamento. “Essa conquista foi muito importante para o setor do comércio. Atende uma necessidade tanto do pequeno, quanto do grande empresário, e ainda tem a simpatia dos consumidores.”, defendeu.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal (CDL Natal), Augusto Vaz, também comentou positivamente o assunto. No entendimento do empresário, o projeto representa um avanço para a o comércio, pois o pagamento diferenciado vai permitir uma melhor negociação de preço na hora de adquirir produtos e serviços. “Sei que, inicialmente, a medida vai desagradar uma parcela da sociedade, mas acredito que terminará beneficiando a todos”, afirmou.

Além de permitir que os comerciantes cobrem preços diferenciados para um mesmo produto em função da forma de pagamento, a medida possibilita a variação do valor em função do prazo de pagamento.

Apesar de ainda ser  uma novidade para o comércio, alguns consumidores já tomaram conhecimento e gostaram da notícia. A jornalista Juliana Manzano comentou que essa medida beneficia o consumidor que paga à vista pois possibilita a negociação por um desconto maior na hora da compra ” O Consumidor que costuma comprar à vista antes não tinha nenhum beneficio. Eu que não possuo cartão de crédito, acredito que agora terei mais poder de compra e de negociar um desconto maior na hora de efetuar minhas compras “, afirmou.

Outro que só compra à vista e gostou da novidade é o engenheiro elétrico Diego Gadelha. ” Vejo essa mudança como positiva para empresários e consumidores. Para os empresários porque terão recursos no mês refente de vendas, sem precisar esperar os prazos dos parcelamentos tão comuns dos cartões de crédito. Já os  consumidores ganham em função dos descontos que eles poderão receber. Eu sou um que peço sempre desconto à vista”, enfatizou.


Data da publicação: 26 de junho de 2017

Notícias

Carnaval deve mobilizar 72 milhões de consumidores, aponta

O ano de 2018 mal começou e muitos brasileiros já fazem …

BNDES triplica crédito para pequena empresa

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (B…

52% dos motoristas já desistiram de alguma compra por não

71% dos brasileiros se dizem insatisfeitos com a qualidade…

Para quase metade dos brasileiros, combate à corrupção de

Em outubro de 2018 os brasileiros irão às urnas mais uma…

Novas regras de parcelamento de dívidas de micro e pequenas

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 171/15 que trata das n…